Tratamentos para depressão: conheça os tipos e como funcionam

A depressão é uma doença psicológica frequente e para minimizar seus efeitos é importante iniciar o tratamento tão logo ela seja identificada. Vale lembrar que esse transtorno afeta não só a vida da pessoa que está com o problema, mas também interfere na família e tem reflexos na sociedade.

O primeiro passo para vencer a depressão começa antes mesmo do diagnóstico, pois este só é possível se os sinais e sintomas receberem a devida atenção e o indivíduo procurar ajuda. Por isso, não negligencie sentimentos e pensamentos negativos que você tenha ou queixas frequentes de desânimo e tristeza de algum amigo, pois ele pode estar precisando de ajuda.

Fases do tratamento para depressão

Por ser uma patologia ligada a múltiplos fatores, com tendência a ser recorrente, o tratamento da depressão deve ser contínuo, pois não é possível afirmar sua cura, mas sim a remissão (controle), quando os sintomas deixam de se manifestar. 

A duração do tratamento depende do estágio da doença e o do nível de comprometimento na vida e, até mesmo, na saúde física do paciente, por isso não há um tempo determinado. Basicamente, existem três fases:

Fase aguda: dedicada ao alívio e regressão dos sintomas. 

Fase de continuação: neste período o principal objetivo é monitorar recaídas e promover a retomada gradual da rotina que a pessoa tinha antes da doença. 

Fase de manutenção: é o acompanhamento para prevenir a reincidência dos sintomas e a volta de quadro crítico.

Como a depressão deve ser tratada?

Os tratamentos clinicamente reconhecidos e indicados para a depressão são:

Acompanhamento psiquiátrico: o médico psiquiatra é o único profissional autorizado a fazer a prescrição de medicamentos para a depressão e, em muitos casos, o uso da medicação é necessário, especialmente na fase aguda do tratamento. Isto porque as substâncias vão atuar no aspecto bioquímico da doença.

Psicoterapia: o auxílio de um psicólogo durante a recuperação e na fase de manutenção é indispensável por trabalhar diretamente o aspecto emocional do problema, conduzindo o paciente na descoberta de si mesmo e de caminhos para a mudança de comportamento, neutralização de pensamentos negativos e valorização do otimismo.

Existem também terapias e hábitos que podem ser considerados meios alternativos para tratar a depressão. Entre eles podemos citar:

Hipnoterapia: é uma área de atuação em saúde emocional que utiliza a hipnose de maneira profissional e responsável para acessar o inconsciente do indivíduo e ajudá-lo a lidar melhor com questões como medo e traumas.

Yoga: é uma forma de meditação que trabalha os aspectos físicos, espirituais e emocionais da pessoa, ajudando no processo de paz, harmonia e serenidade por meio do autoconhecimento.

Terapia holística: é uma abordagem baseada no holismo, que trata problemas e doenças a partir de uma visão global. O terapeuta holístico analisa o paciente nos aspectos físicos, mentais, espirituais e energéticos, a fim de promover a harmonia entre eles.

Terapia ocupacional: o terapeuta ocupacional busca ajudar o paciente a realizar atividades do cotidiano de forma saudável, equilibrada e prazerosa, incluindo questões de autocuidado, produtividade, lazer e atividades sociais em geral.

Estes são alguns exemplos, além do acompanhamento médico e psicológico, de maneiras de superar a depressão e recuperar a saúde e qualidade de vida. Se precisar de nós, estamos aqui pra receber você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *