Quebrando o tabu sobre saúde emocional

Para você, o que é ter saúde? É comum pensar em um corpo onde tudo esteja funcionando bem; mas e a saúde emocional? A Organização Mundial Saúde – OMS adotou como conceito de saudável “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. 

Muito se fala sobre a importância de ir ao médico regularmente, seja ele um clínico geral, para fazer um check-up; um cardiologista para cuidar da hipertensão; ou um ginecologista, que cuida da saúde da mulher. Tudo isso é normal no dia a dia, concorda? 

No entanto, de maneira geral, a sociedade vê a terapia como algo “preocupante”, “suspeito”, “misterioso”, que deve ser mantido em segredo, mas tudo isso é um grande equívoco. Infelizmente, essa ideia está associada a conceitos pejorativos de que uma pessoa que tenha “problemas de cabeça” é “maluca”, “retardada”, “débil mental”, “inferior”.

Diante desse comportamento histórico-cultural de exclusão, é fácil entender porque muitos relutam em procurar ou assumir o acompanhamento psicológico. Porém, a medicina, a psicologia, a sociedade, o mundo estão em constante transformação e, hoje, é mais do que claro que a mente, emoções e sentimentos também precisam de cuidados preventivos, assim como o corpo.

Aliás, voltando à definição da OMS, acreditamos que o bem-estar EMOCIONAL é o que mais influencia no aspecto social. Portanto, é indispensável para ter saúde.

Cuidar da saúde emocional é uma necessidade

Já falamos aqui no blog do impacto de transtornos emocionais como a síndrome do pânico, ansiedade e depressão. Mas, infelizmente, a busca por acompanhamento profissional para estes e outros problemas ainda está longe de alcançar níveis adequados.

Segundo a OMS, na América Latina a cada dez pessoas deprimidas apenas quatro procuram ou recebem o tratamento adequado. Isso causa um grande prejuízo não só à vida das pessoas, mas à sociedade como um todo pois interfere na qualidade de vida, produtividade e relações sociais.

Quando nossa mente não está bem nada flui conforme gostaríamos. Isto ocorre devido à dificuldade que temos para dominar nossos sentimentos e emoções, manter o foco e a flexibilidade em meio a novos desafios e decisões, sentir felicidade, confiança e bem-estar.

No caso da depressão, com o auxílio profissional indicado, cerca de 90% a 95% dos pacientes apresentam remissão total dos sintomas e voltam a ter uma vida normal. Mas para a saúde emocional também vale a máxima: “É melhor prevenir do que remediar!”

Hábitos que contribuem para uma boa saúde emocional

Quando conseguimos nos manter num estado saudável, com corpo e mente equilibrados, vivemos melhor porque nossa rotina, pensamentos, sentimentos, projetos e relações se tornam mais positivos.

Tudo isso requer o exercício diário de cuidar de si mesmo, estar atento aos sinais físicos e psicológicos, quebrar as barreiras do tabu e preconceito, ser honesto consigo e agir quando necessário; seja rompendo ciclos tóxicos, se colocando em primeiro lugar, ainda que isso contrarie a terceiros ou procurando um psicólogo.

O mais importante é entender que a saúde deve ser encarada com uma visão ampla e sua manutenção deve ser feita no dia a dia, através de hábitos como:

  • Praticar atividade física regularmente;
  • Ter uma dieta equilibrada, priorizando ingredientes naturais;
  • Evitar o consumo de álcool e outras drogas;
  • Dormir adequadamente;
  • Não praticar uma carga de trabalho excessiva;
  • Separar tempo para momentos de lazer;
  • Estar com as pessoas que ama sempre que possível;
  • Fazer terapia.

O que você precisa mudar a partir de hoje para viver melhor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *